27 de set de 2010

Série: OCULTISMO 15 - CONSIDERAÇÕES FINAIS



Série: OCULTISMO 15 - CONSIDERAÇÕES FINAIS


Não tem como postar todas as coisas, portanto, postei algumas coisas que julguei ser importante e necessário nesse tempo, e Como considerações finais dessa Série sobre OCULTISMO, segue abaixo, parte do Livro ELE VEIO PARA LIBERTAR OS CATIVOS, da Drª. Rebeca Brown. 

Que a sua vida seja abençoada com essa série de estudo sobre o OCULTISMO. Creia, somente Jesus pode e tem poder para nos salvar, e nada mais, portanto, faça separação do Santo e do Profano.


Leia abaixo:











LIVRO: ELE VEIO PARA LIBERTAR OS CATIVOS / Rebeca Brown

CAPITULO 7 
A Bíblia deixa bem claro que qualquer envolvimento com Satanás, abre uma porta na vida da pessoa, deixando-a exposta à influência, poder ou infestação demoníaca. Seja ela crente ou não. Levíticos 19-31 fala:
“Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles: Eu sou o Senhor vosso Deus.”

Embora a Irmandade seja uma enorme seita que cresce a cada dia, ela é apenas um punhado, se comparada ao grande número dos que escravizaram-se em um envolvimento periférico no ocultismo e outros pecados, expondo suas vidas ao poder de Satanás. Essas portas (abertas pelo pecado) dão a Satã, o direito legal de, em concordância com a Bíblia, enxertar o poder dele nas vidas das pessoas. Os crentes não estão excluídos, porque a abertura destas portas está ligada à participação consciente no pecado e, também, pela ignorância.
“E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e, sim, da graça? De modo nenhum. Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?” (Romanos 6.15-16).
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento...” (Oséias 4.6).

Todos precisam estar conscientes dessas áreas de influência, tanto os que querem reconhecê-las na própria vida, como aqueles que querem compartilhar a outros o glorioso Evangelho de Cristo. Muitos não conseguem aceitar a Jesus, porque a vontade e a mente, estão literalmente escravizadas pelo poder das trevas através de portas abertas no passado.
“Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” (II Coríntios 4.3-4).

Qualquer envolvimento com o ocultismo, não importa o tempo e nem a intensidade, se torna uma porta. Seja o simples consultar o horóscopo, a curiosidade para visitar uma cartomante, leitura de mãos, etc. Você já reparou que, tanto nas escolas como nas festas de arrecadação para os fundos de uma igreja, encontra-se, de algum modo, uma cartomante? Nenhum envolvimento deixa de ser prejudicial. Muitas crianças são levadas a estas festas para “simples diversão”. Mas, quantas delas, no futuro, são incapazes de até mesmo aceitar a Jesus como Salvador pessoal e, no caso de terem se tornado cristãos, chegam a perder o interesse ou se tornam incapazes de dar mais um passo no cristianismo. Ficaríamos boquiabertos se pudéssemos conhecer, isoladamente, uma a uma as conseqüências desses envolvimentos. Pessoalmente, conheço muito mais do que gostaria de até mesmo pensar.
“Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal cousa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança de diante de ti.” (Deuteronômio 18.10-12).

Apenas uma simples visita para satisfazer a curiosidade é, suficiente, para afetar o resto de sua vida. Da mesma forma, o estudar livros de artes ocultas, jogo de cartas, testes para percepção extrasensorial, experiências psíquicas, projeção astral, meditações que tenham por objetivo “limpar” a mente e separar óleo de minerais usando pêndulos ou varinhas. Igualmente perigoso é, a participação em quaisquer tipos de mágicas, a arte da levitação (mover objetos sem tocá-los), consultar um médium ou espírito, na intenção de localizar objetos perdidos, a prática de artes marciais ou yoga e, naturalmente, quaisquer práticas de bruxaria através de mágicas ou encantamentos. Em suma, quaisquer uma dessas práticas, abrirá uma porta à influência de Satanás e seus demônios.
Do mesmo modo, o uso e abuso de drogas, assim como bebedeiras freqüentes são, também, portas. O abuso sexual de crianças, sempre resulta em infestação demoníaca, porque se a criança não for liberta poderá, no futuro, abusar dos próprios filhos. Qualquer incidente emocional grave ou um trauma físico, pode causar rompimento nas defesas, permitindo a entrada de espíritos malignos, e isso pode ocorrer tanto nas crianças como nos adultos.
A relação sexual ilícita é outra grande porta, os demônios são passados de uma pessoa para outra através dela e isto acontece porque as pessoas envolvidas se tornam “uma só carne”.
“Ou não sabeis que o homem que se une a uma prostituta, forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne. Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele. Fugi da impureza! Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer, é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo.” (I Coríntios 6.16-18).

A palavra fornicação é usada para a relação sexual de um homem com a mulher sem serem casados. (Essa definição é do “Vine’s Expository Dictionary of New Testament Words,” p.465).
É por essa razão, que Deus ordena tanto a seu povo, para não manter relações sexuais a não ser marido e esposa. O objetivo é nos proteger da infestação demoníaca. O estupro assim como o assalto seguidos de violência sexual é uma porta que, repetidamente, presenciei na prática da medicina. O resultado é a infestação de demônios extremamente poderosos e isso, também, pode vir como resultado da prática da homossexualidade e do incesto e das práticas sexuais usadas na pornografia atual.
Freqüentemente, sou questionada a respeito das conseqüências da relação sexual entre um casal, quando um dos cônjuges não é salvo e participa das coisas do mundo. Nesses casos, posso assegurar que o cônjuge cristão pode se firmar na promessa que está em I Coríntios 7.12-16:
“Aos mais digo eu, não o Senhor: se algum irmão tem mulher incrédula, e esta consente em morar com ele, não a abandone; e a mulher que tem marido incrédulo, e este consente em viver com ela, não deixe o marido. Porque o marido incrédulo é santificado no convívio da esposa, e a esposa incrédula é santificada no convívio do marido crente. Doutra sorte, os vossos filhos seriam impuros; porém, agora, são santos. Mas, se o descrente quiser apartar-se, que se aparte; em tais casos não fica sujeito à servidão nem o irmão, nem a irmã; Deus vos tem chamado à paz. Pois como sabes, ó mulher, se salvarás a teu marido? Ou como sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?”

Nestes casos, o cônjuge cristão necessita apenas de pedir ao Senhor que santifique o leito e o companheiro incrédulo. Depois, deve fechar a porta com o sangue de Jesus para que não venha a ser infestado com os demônios através da relação.
A hipnose é uma outra porta. A pessoa que se sujeita a ela, ficará sob a vontade daquele que a hipnotiza e assim se abre para tudo o que o hipnotizador quiser colocar nela. Existem demônios específicos que entram através da influência dessa prática. A hipnose para parar de fumar ou para controlar o apetite é uma estratégia demoníaca.
A acupuntura é um outro tratamento demoníaco. As religiões orientais, todas, são várias formas de adoração a Satanás. O público não sabe, mas as agulhas usadas, são primeiro “abençoadas” por líderes dessas religiões, e se tornam passagem de demônios. Tenho presenciado inúmeras infecções causadas por elas. Qualquer cura sobrenatural que não venha de Jesus Cristo é obra demoníaca e resulta na infestação ou na escravidão. O próprio Deus deu aos homens inteligência e capacidade de curar uns aos outros através da medicina. Lembre-se, Lucas, um dos escritores do Novo Testamento, era médico.
Também resultam em infestação práticas como a meditação transcendental, a Yoga, etc. Se comparadas, cuidadosamente, com a Palavra de Deus poderemos ver-lhes os erros.
A maioria dessas religiões orientais usa o recurso da meditação. Os cristãos confundem essa estratégia e Satanás, através da literatura, engana a muitos. Nas Escrituras encontramos inúmeras referências sobre o assunto, entretanto, existe uma grande diferença entre a meditação divina e a satânica. Analisamos, agora, alguns dos princípios básicos.
A maior referência feita à meditação pode ser encontrada em Josué 1.8:
“Não cesses de falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas o cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho e serás bem sucedido.”

Quero enfatizar aqui, que esse tipo de meditação, refere-se à leitura dinâmica, aprendizagem e à memorização da lei dada por Deus aos Israelitas. Josué deveria aprender a lei até que ela se tornasse uma parte dele. Davi, também, seguiu o mesmo princípio, ele escreveu à respeito no Salmo 119.9-11:
“De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra. De todo o coração te busquei; não me deixes fugir aos teus mandamentos. Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.”

A atitude de Davi aqui, é dinâmica, isto é, estava aprendendo e memorizando a lei de Deus para que ela não se apartasse dele. Em todos os trechos das Escrituras, a meditação bíblica é ativa. Já a meditação satânica, é passiva. O que Satanás quer é esvaziar as mentes, e tirar delas todos os pensamentos, e isto abre portas aos demônios porque o que Deus nos ordena é controlar os pensamentos e não esvaziar a mente. Se você não controlar a sua mente Satanás o fará.
“Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e, sim, poderosas em Deus, para destruir fortalezas; anulando nós, sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (II Coríntios 10.3-5).
“Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cuja mente está firme em ti.” (Isaías 26.3).

A Bíblia, mostra claramente, que devemos controlar nossas mentes e não esvaziá-las. Qualquer ensinamento sobre meditação que diga a você para esvaziar-se de todos os pensamentos usando frases como “limpe sua mente” e recursos da repetição de palavras, é de origem demoníaca.
"E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios... (pala­vras de Jesus)" (Mateus 6.7).
"Evita igualmente os falatórios inúteis e profanos." (II Timó­teo 2.16).

Em algumas igrejas carismáticas, existe um ensinamento que consiste na repetição de determinadas frases ou no esvaziamento da mente para que o "Espírito Santo" possa atuar. (É um esforço feito especialmente para que a pessoa possa falar em línguas). Naturalmente que, qualquer mente vazia será ocupada por um espírito, só que nesse caso, infelizmente, não será o Espírito Santo e sim um espírito imundo.
Uma outra forma de escravidão maligna, muito comum, mas pouco reconhecida, é quando uma pessoa afeta outra através de "encanto", "vodu" e "maldições". Até mesmo um cristão pode ser prejudicado por feitiçaria desse tipo quando direcionados a ele. Um bom exemplo é a minha experiência pes­soal. Não tive consciência do que estava acontecendo, até que o Senhor desse ao meu pastor a revelação. Também, atendi a pacientes que foram afligidos do mesmo modo, muitos conheciam a pessoa que lhes enviara a mandinga, já outros, depois de uma briga com um amigo envolvido no ocultismo, foram vítimas sem ao menos desconfiar do autor do encantamento. Por esta razão, é imperativo que os cristãos tenham um relacionamento íntimo com o Senhor para que Ele lhes dê o discernimento exato.
Herda-se tanto os demônios como a escravidão demoníaca. A porta para esse tipo de herança, freqüentemente, passa desapercebida. Embora não esteja­mos mais sob a lei, devido à nova aliança no sangue de Cristo, podemos encontrar, também, no Velho Testamento princípios importantíssimos. Do mesmo modo, devemos ter sempre em mente que qualquer pecado não coberto pelo sangue de Jesus em nossas vidas é propriedade legal de Satanás.
São muitas as referências no Velho Testamento de pecados dos pais que são passados aos filhos. Podemos encontrá-las em Êxodo 20.5, 34.7, em Números 14.18 e em Deuteronômio 5.9. Podemos ler em Êxodo 34.6-7 o seguinte:
"E passando o Senhor por diante dele, clamou: Senhor, Se­nhor Deus compassivo, clemente e longânimo, e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o peca­do, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniqüidade dos pais nos filhos, e nos filhos dos filhos até a terceira e quarta geração.”

Sempre que havia em Israel um reavivamento maior, o povo se reunia para jejuar, orar e confessar não só os próprios pecados como também os de seus pais. Veja o exemplo em Neemias 9-1-2:
“No dia vinte e quatro deste mês se ajuntaram os filhos de Israel com jejum e pano de saco, e traziam terra sobre si. Os da linhagem de Israel se apartaram de todos os estranhos, puseram-se em pé, e fizeram confissão dos seus pecados e das iniqüidades de seus pais.”

Outras citações estão em II Crônicas 29-1-11 (durante o reinado do rei Ezequias), II Crônicas 34.19-21, e também em muitos outros livros.
Os pecados dos nossos antepassados afetam, diretamente, as nossas próprias vidas. Devemos fechar a porta dessa herança através de oração e confissão pelo sangue de Jesus. Habilidades específicas e demônios são passados de geração a geração. Um exemplo comum que podemos citar é o da “Water - Witch” [i]. Da mesma maneira, qualquer envolvimento no ocultismo é prejudicial. Qualquer adoração a ídolo é, também, danosa porque é, na verdade, adoração a demônios (I Coríntios 10.14-21). Igualmente nocivos, são os juramentos feitos pelos pais ou ancestrais (dentro de religiões pagas, maçonaria, mórmons etc.) que se desencadeiam sobre a vida de seus descendentes.
Atualmente em nosso país, um dos maiores instrumentos de Satanás são os “role playing fantasy games” (jogos) que se tornaram bastante populares. Ele está usando esses jogos para criar um exército com os jovens mais inteligentes. Exército esse que, o anti-Cristo, será capaz de interceptar e controlar quando bem quiser. Sem se dar conta do que está acontecendo, a pessoa pode ser controlada por demônios através do envolvimento nesses jogos. Em muitos estados, eles se tornaram, para os mais inteligentes, parte do currículo escolar e quase todas as escolas formam clubes extra-curricular para que os alunos possam jogar. Na essência, esses jogos são cursos relâmpagos de feitiçaria. Infelizmente, os participantes só constatam isso quando já é muito tarde.
Na maioria dos jogos, existe um líder que planeja o lineamento de cada jogo. A diversão consiste de uma aventura em que a batalha será travada contra vários “monstros” e “seres” com certas habilidades e características. Assim, existem manuais com gravuras e muitos detalhes sobre as habilidades desses personagens. Os jogadores terão de “visualizar” a ação do jogo em suas mentes. Assim, irão se tornar mais avançados no jogo, à medida em que “visualizarem” melhor a “ação” e conseguirem antecipar os movimentos dos “monstros” e dos outros jogadores.
Primeiramente, o quê as pessoas não sabem é que os “monstros” são na realidade, demônios. O que elas pensam que estão “visualizando”, na verdade, estão começando a ver o mundo espiritual. Quanto melhor se tornarem na “visualização” do jogo, mais infiltrados estarão no mundo espiritual. A imaginação é um passo importante para contactar esse outro lado. Não posso dizer em que ponto os jogadores ficam infestados por demônios, contudo, trabalhei com muitos e não encontrei sequer um deles que não estivesse habitado por demônios e não o soubesse. É claro, que irão mentir a respeito, mas mesmo assim, uns poucos me disseram que conversavam com eles e para ganhar mais poderes convidava o mais inteligente de todos os demônios para possuí-los.
Os manuais mais avançados, dão detalhes de fórmulas mágicas, encantamentos e escritos satânicos que são usados e ensinados pelas bruxas e bruxos da própria Irmandade. Todos os que estão nos jogos, sentem uma estranha fascinação pelo poder que emana deles, e, poucos são os que descobrem a armadilha em que estão sendo apanhados. Muitos são os jovens cristãos ativos e entusiastas que perderam o interesse pelo Senhor como resultado do envolvimento nesse tipo de jogo e, não deixando de mencionar os que nunca conhecerão a Jesus por causa da escravidão satânica em que estão.
As influências do ocultismo, estão desenfreadas tanto nos brinquedos, como nos desenhos animados. Neste caso, Satanás sabe que pode influenciar a imaginação das crianças para o mundo espiritual. Assim, elas aprenderão rapidamente a ver e a se comunicar com os demônios. Os pais necessitam ser extremamente cuidadosos com os brinquedos e com os desenhos que seus filhos assistem.
Explodiu na medicina, nos últimos anos, o fenômeno do “Biofeedback”. O seu crescimento tem sido estrondoso, e é usado, principalmente, para controlar a dor, a pressão sangüínea e o abuso do uso de drogas e álcool. A Irmandade já o usava há muitos e muitos anos antes do mesmo vir a ser do conhecimento público. Os satanistas descobriram que é o meio mais rápido de treinar as bruxas para ganhar controle consciente de seus corpos espirituais e assim contatarem o mundo espiritual. Na essência, o “biofeedback” treina a pessoa para controlar as funções orgânicas e áreas em que Deus não nos ordenou para controlar. Ele ensina o controle consciente do corpo espiritual. Este, por sua vez, controla e altera o que acontece ao corpo físico. E, é aqui que as pessoas não se conscientizam em quê estão sendo envolvidas. Os cristãos nunca deveriam lidar com o “biofeedback” pois ele nada mais é do que a yoga modernizada, a meditação satânica e a bruxaria.
O rock é outra área, desapercebida, mas muito poderosa. É a música de Satanás. Todo o movimento dela foi cuidadosamente planejado por ele e seus seguidores desde o começo. O rock não apenas “aconteceu”, na realidade, foi cuidadosamente planejado pelo próprio Satã.
Como mencionei anteriormente, Elaine conheceu, pessoalmente, muitas estrelas do rock e todos haviam feito acordo com Satã em troca de fama e dinheiro. Receberam tudo o que queriam, e até o que não esperavam: a destruição de suas almas e vidas, contudo, eles sabem exatamente o que estão fazendo. Ensinam, passo a passo, milhões de jovens leigos, a adorar e a servir à Satanás.
Inúmeras foram as cerimônias “especiais” que Elaine freqüentou em vários estúdios de gravação, por todo os E.U.A., com o propósito específico de colocar as bênçãos de Satã sobre os discos gravados. Tanto ela como os outros, faziam encantamentos para colocar demônios em todos os discos e fitas vendidos. Também, em muitas vezes, eles convocavam demônios especiais para falarem nas gravações e nas mensagens que são disfarçadas na rotação ao inverso. Do mesmo modo, os próprios satanistas são gravados, ao fundo, disfarçados pelo barulho da música. Assim, eles fazem magias e cantigas para invocar os demônios a cada vez que um dos discos, vídeos e fitas são tocados. Desse modo, os que escutam a música são afligidos.
E qual é o propósito disso tudo? Você pode até questionar. A resposta, nada mais é, do que o controle da mente. Esse controle, não apenas dá aos ouvintes, através da música, o entendimento das mensagens satânicas como, também, impede que reconheçam a necessidade de ter Jesus, assim como, a salvação oferecida por Ele ao morrer na cruz.
Muitas das canções líricas, quando tocadas, na realidade estão invocando os demônios. O propósito disso pode ser analisado por dois ângulos. Um, é exercer o controle sobre o ouvinte e o outro é propiciar para o mesmo através de encantamentos, a condição de enviar demônios sobre outra pessoa. Isso é feito para se obter vingança através de doenças, acidentes, etc. e para ajudar a influenciar o outro à própria escravidão do rock.
Com tudo isso, recomendamos o livro “The Devil’s Disciples - The Truth About Rock” (Os Discípulos do Diabo - A Verdade Acerca do Rock) de Jeff Godwin, publicado por Chick Publications, Inc., (nos E.U.A.). Ele dará a você um profundo conhecimento sobre esse tipo de música. É uma excelente ferramenta para os pais que querem entender em que tipo de música os filhos estão se envolvendo.
Todas estas portas devem ser fechadas.
“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça”. (I João 1.9).

Se você está envolvido em qualquer uma dessas práticas, você poderá fechar a porta ao fazer a seguinte oração:
“Pai, eu confesso a ti o meu envolvimento em ............................. . Reconheço que tal coisa(s) é abominável diante de Ti. Humildemente peço o Teu perdão para o meu pecado nessa área(s). Quero, também que Tu feches qualquer entrada demoníaca como resultado de minhas ações. Do mesmo modo, quero que me limpes dos meus pecados e feches a porta(s) para sempre, com o precioso sangue de Jesus. Peço tudo isso e agradeço-Te por tudo, no nome de Jesus.”

Recomendo, também, que você se dirija a Satanás e seus demônios em voz alta, da seguinte maneira:
“Escute Satanás, você e seus demônios! Já pedi ao meu Pai celestial perdão pela minha participação em .............................. e o recebi. Agora, pela fé e para sempre, fecho a porta dessa área na minha vida aberta a você no sangue de Jesus derramado na cruz por mim. E no nome de Jesus, ordeno que vá embora!”

Para a libertação nos casos de infestação por demônios fortes, será necessária a ajuda de outra, ou outras pessoas. Se você ora fervorosamente e deseja a libertação à despeito de qualquer preço, o Senhor irá instruí-lo sobre o que é necessário fazer e, ele libertará o cativo.
Darei alguns exemplos de, como na medicina, lidei com as pessoas terrivelmente afetadas pela abertura dessas portas. Todos os nomes foram mudados para a proteção das mesmas. Nós, os cristãos, devemos entender um princípio importante que eu nunca vi ser ensinado claramente nas igrejas. Muitas das pessoas com quem compartilhamos o Evangelho estão literalmente atadas por espíritos demoníacos seja por dentro ou por fora. Em conseqüência, a vontade delas não está livre. Não podem aceitar a Jesus como Salvador porque tendo a mente dominada não conseguem entender a mensagem do evangelho.
“Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” (II Coríntios 4.3-4).

As pessoas não irão dizer que estão amarradas. De fato, a amarração é tão completa que, na maioria dos casos, elas nem sabem que estão amarradas. Quando você perguntar a alguém se ele, ou ela, quer orar com você aceitando a Jesus, as desculpas que provavelmente ouvirá, poderão ser estas: “Eu ainda não estou pronto(a)”, “farei isso mais tarde” ou “não posso fazê-lo agora, não me obrigue”, etc.
Entretanto, Jesus veio para libertar os cativos.
“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu, para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a por em liberdade os algemados.” (Isaías 61.1).

Nós devemos, simplesmente, tomar posse do poder e da autoridade que Jesus nos deu e usá-los para libertar os cativos. Veja a seguir alguns exemplos da minha experiência:

1) Jane tem trinta cinco anos e é uma enfermaria da minha terra natal. Trabalhamos juntas há quase dez anos quando eu ainda era uma enfermeira. Encontramo-nos há algum tempo e ela ficou espantada com a mudança que viu em mim. Assim, assentei-me com ela, em uma tarde para compartilhar o que o Senhor fizera em minha vida. O comentário feito por ela foi o que se segue:
“Você sabe, tive outros dois amigos que há cinco anos também entregaram as suas vidas a Jesus Cristo e mudaram completamente, eram insatisfeitos e infelizes, mas agora estão jubilantes e cheios de paz. Cheguei a pensar que poderia fazer o mesmo. Contudo, como não o posso, não penso mais sobre o assunto”.
“Porque você não pode entregar a sua vida a Cristo?” Perguntei.
“Bem, não posso fazê-lo, embora veja os benefícios. De fato, fico ansiosa e com insônia quando converso a respeito. Penso que seria melhor pararmos agora. Não quero falar mais sobre isso.”
Há alguns anos eu teria interrompido a conversa. Mas, louvado seja o Senhor, graças a seu treinamento, reconheci facilmente todos os sintomas. Assim, persisti: “Deixe-me fazer apenas mais uma pergunta. Quando você tenta pensar sobre Jesus, parece que você se choca contra um muro vazio e ele se torna um esforço para continuar pensando e é por isso que desiste?”
“Sim é isso! Como é que você sabe?”
“Bem, tenho sido treinada na escola de Deus. Diga-me em que atividades do ocultismo você está envolvida?” Ela ficou surpresa.
“Como é que você sabe? Bem, eu não participo ativamente. Há quase oito anos fui visitar uma leitora de mãos apenas por achar emocionante. E, desde então, voltei aos leitores de mãos e adivinhos várias vezes e, recentemente, comecei a consultar o meu horóscopo. Como você mesma pode ver, nada realmente sério.”
“Bem, Jane, esse envolvimento “superficial” como o oculto foi o suficiente para colocá-la sob o jugo satânico para que você não possa aceitar a Jesus. Mas, tenho boas-novas para você. Jesus veio para libertar os cativos e porque eu sou d’Ele, Ele me deu poder e autoridade sobre Satanás e seus demônios. Assim, vocês, demônios, que estão atando e cegando a Jane eu os amarro neste exato momento, no nome de Jesus para que não possam mais agir na vida dela.”
Jane olhou-me assustada achando que eu tivesse perdido o juízo contudo, a única coisa que fiz, foi mudar de assunto durante dez minutos. Depois perguntei:
“Jane, há alguns minutos eu perguntei a você se queria aceitar a Jesus como Senhor e Salvador. Você sabe que é o que precisa fazer? Que tal orar comigo agora?”
Ela pareceu-me estar surpresa, mas pude ver o alívio em seu rosto.
“Sim, eu gostaria de orar com você. Posso aceitar a Jesus. Não sei porque não o fiz antes.”
Assim, quando, juntas ajoelhamos para orar, Jane era mais uma escrava que estava sendo retirada do reino das trevas e sendo introduzida no reino de Deus. Depois, falei-lhe sobre as portas que ela abrira e ela orou fechando-as, para sempre, com o precioso sangue de Jesus.

2) Em uma determinada noite, uma jovem de vinte anos deu entrada na Sala de Emergência em que eu estava trabalhando. A queixa dela, era de que se não recebesse ajuda, poderia cometer suicídio. Estava deprimida e temerosa e a vida era, para ela, vazia e sem significado. Não tinha mais razão para viver. Conversamos por um bom tempo e, depois, disse-lhe que ela precisava de Jesus e compartilhei as boas-novas com ela. “Os meus pais são crentes,” ela disse, “e, eu fui criada no evangelho. Sei que o quê está dizendo é verdade mas eu ainda não estou pronta.”
“Vocês demônios! Que estão atando esta garota. Eu os amarro, agora, no nome de Jesus para que não possam operar mais na vida dela.” Ao dizer isto, ela olhou para mim como se eu estivesse louca. Mas, assim que mudei de assunto por alguns minutos ela esqueceu o que estava acontecendo. Depois perguntei:
“Susy, há alguns minutos você admitiu que eu estava dizendo a verdade quando falei que você precisava de Jesus em sua vida. O que me diz de, agora, orarmos juntas, convidando-O para se tornar o Seu Senhor Salvador e Mestre?”
“Sim, eu gostaria de fazê-lo. Ninguém pediu-me para fazê-lo antes. Você me ajudará? Não sei o quê dizer.”
Oramos juntas e ela começou sua caminhada rumo à vida eterna. Um pouco depois, questionando-a gentilmente; descobri que a porta aberta tinha sido um breve contato, aos treze anos, com as drogas em uma festa noturna. Foi o bastante para amarrar demoniacamente a mente dela. Pela maneira como descrevera sua vida, não tive dúvida de que ela já tivera várias oportunidades para aceitar a Cristo, contudo, havia sido amarrada para não fazê-lo.

3) Durante o tempo em que, como residente, eu estava responsável pelo CTI, um homem de oitenta anos foi admitido com grave ataque cardíaco. Depois de examiná-lo, eu constatei que, provavelmente, ele não viveria por muito mais tempo. Perguntou-me o que estava acontecendo em seu corpo e eu disse-lhe que o caso era delicado porque ele tivera um ataque cardíaco. Virando-se, ele começou a chorar, e a nossa conversa foi a seguinte:
“Doutora, por favor não me diga isso, não posso suportá-lo.”
“Moço, qual é o problema? O senhor tem medo de morrer?”
“Sim.”
“O Senhor sabe o que acontecerá depois de sua morte?”
“Sim, moça. Irei direto para o inferno!”
Fiquei extremamente surpresa, pouquíssimas são as pessoas que afirmam isso. “Por favor, senhor, deixe-me dizer como poderá evitá-lo.”
“Não, não! Já ouvi tudo isso antes e não gostei. Não me aborreça.”
“Bem, queira ou não o senhor irá ouvir sobre Jesus mais uma vez.” Assim, usei quase quatro sentenças para falar-lhe do evangelho. Em situações assim, a brevidade é uma obrigação.
“Eu sei tudo isso. Sei que é correto. Mas, não posso.”
“Moço, apenas repita três palavras depois de mim. Jesus Salve-me!”
“Não posso, não posso. Vá embora!”
“Moço, sei que o senhor está sendo barrado. Está certo quando diz que não pode repetir as palavras, diga-me o que é que o está impedindo?”
No mesmo instante, ele olhou-me diretamente nos olhos e disse:
“Satanás e seus demônios!”
“Bem, tenho boas notícias para lhe dar. Jesus veio para libertar os cativos e com certeza o senhor é um deles. Entretanto, sou filha do Rei e tenho autoridade sobre Satanás e seus demônios.”
Foi assim que, em voz alta, dirigi-me a Satanás e a seus demônios e no nome de Jesus amarrei-os. Nunca esquecerei a alegria que vi na face daquele homem. Pegou nas minhas mãos e as lágrimas correram-lhe pelo rosto enquanto ele orava pedindo a Jesus para ser o Senhor e Salvador da vida dele. Pude ver a paz que ele irradiava. Ele olhou-me e disse: “Senhorita, tenho ansiado, procurado e desejado vir a Jesus nos últimos cinqüenta anos, mas não conseguia fazê-lo.”
Enquanto conversamos um pouco, ele disse que, quando tinha trinta anos, trabalhava como marinheiro e um dia estando seu navio ancorado nas Filipinas, por um determinado tempo, ele envolveu-se em uma discussão com as pessoas do local. Eles colocaram uma maldição do vodu nele. O resultado, foi que durante longos cinqüenta anos em que procurou por Jesus ele fora impedido, por estar amarrado. Ninguém conversou com ele sobre o uso do tremendo poder e autoridade de Jesus para reconhecer o que lhe acontecera. No dia seguinte, quando fui vê-lo, estava muito pior fisicamente, mas, radiante. As suas últimas palavras foram: “Senhorita, tenho perfeita paz.” Depois entrou em coma, morrendo pouco depois.

4) Uma mulher de quarenta e quatro anos foi levada ao meu consultório pelas amigas, porque estava à beira do suicídio. Elas a levaram, porque sabiam que eu era cristã e tinham esperança de que pudesse ajudá-la. A história dela não era muito diferente de outras que eu já ouvira. Os pais eram cristãos e a amavam muito. Ela sabia disso, mas por alguma razão, na adolescência, sua vida começou a tomar a direção errada. Ela começou a relacionar-se com más companhias na escola, passando a participar de todo tipo de relações sexuais ilícitas.
“Sabia que o quê estava praticando era errado e grave. Na verdade, não queria fazer aquilo, mas não consegui ajudar a mim mesma. Eu crescera na igreja e sabia o que era certo e errado. Nunca fui capaz de, realmente, aceitar a Jesus e comprometer-me com Ele do mesmo modo que meus irmãos o fizeram. Nunca soube o porquê, simplesmente acho que não estava pronta.”
Solteira, ela tivera, aos dezessete anos, um bebê que seus pais obrigaram-na a entregar para a adoção. No mesmo ano, mais tarde, ela chegou perto de cometer suicídio e passou três meses em um hospital para doentes mentais, desse modo, o resto de sua vida foi dentro de uma ou outra instituição psiquiátrica. Foi a inúmeros psiquiatras e psicólogos e tomou incontáveis drogas e tranqüilizantes. Nada ajudava. Não conseguia manter relacionamentos estáveis e amorosos. Aos dezenove anos, ela teve outro bebê e temendo que os pais a obrigasse a dar o segundo filho, saiu de casa. Finalmente, dois anos antes de conhecê-la, ela começou a freqüentar uma igreja e eventualmente aceitou a Jesus. A vida dela melhorou muito ao ano que se seguiu. Parou de beber e conseguiu um emprego. Encontrou cristãos genuínos que passaram muito tempo com ela ajudando-a na mudança e limpeza da vida. A alegria dela era orar e ler a Bíblia. Porém, repentinamente, um dia: “Senti como se alguém tivesse fechado a porta, deixando tudo escuro. Não conseguia mais ler a Bíblia ou orar. Não sentia mais a presença do Senhor. Estava em grande aflição. Continuava indo à igreja porquê sabia que era a única resposta. Não tinha qualquer alegria. Os vários ministros com quem conversei disseram-me que deveria haver algum pecado não confessado em minha vida ou que talvez o Senhor estivesse me testando. Mas, sei que estou sendo destruída, não tenho mais desejo de continuar vivendo e o único caminho que vejo é o do suicídio.”
Perguntei-lhe se sentia, sempre, dentro de si algo que não fosse ela, mas que controlava-lhe as ações e os pensamentos.
“Oh! Sim, freqüentemente sinto. Com toda certeza sei que há algo dentro de mim que não é meu. Perguntei a vários ministros se seria um demônio, mas eles me disseram que “Cristãos não podem ter demônios. De qualquer jeito, acho que estou louca. Quando tentei falar aos psiquiatras sobre isso eles me disseram que eu era esquizofrênica.”
Como as pessoas são ignorantes! Havia, realmente, dentro de Sarah um demônio poderoso acompanhado de muitos outros menos poderosos. O Senhor instruiu-me a procurar a porta que fora aberta a eles e sob a orientação d’Ele, perguntei a ela se lembrava, na infância, de algum incidente traumático. Depois de pensar por alguns instantes ela me respondeu:
“Sabe, é engraçado que você faça esta pergunta. Consigo me lembrar, vagamente, do que minha mãe me disse que, quando muito criança, eu havia sido estuprada. Disse que era melhor que eu esquecesse. Ela nunca falava comigo a respeito. Lembro-me de um homem agarrando-me e atirando-me ao chão, entretanto, tudo o mais que consigo lembrar é de, deitada ao chão, ficar olhando para um pé de maçã em flor”.
Aquela era a porta. O demônio entrara enquanto ela estava sendo estuprada e ficara lá, por muitos e muitos anos, sem ser detectado e destruíra-lhe a vida. Ele é de uma determinada classe que ao mesmo tempo pode habitar a alma, o corpo e o espírito. Discutirei sobre isso mais tarde. Ele possui milhares de tentáculos que atira e entrelaça profundamente cada área. Foi ele que fechara a porta no espírito dela para que ela não mais pudesse sentir a presença do Senhor. A presença e o encher do Espírito Santo era algo que ele não podia tolerar. Então, tentou afastar Sarah do compromisso dela com o Senhor.
Entretanto, o Senhor envolveu-a e duas horas depois aquele demônio, juntamente com seus subordinados, foi expelido. Assim, Sarah, depois de muitos e muitos anos, estava liberta. Podia sentir a presença do Senhor e do mesmo modo ler, jubilosamente, a Sua Palavra, e pela primeira vez, começou a levar uma vida normal e saudável. Passou, também, a experimentar o amor de Jesus Cristo. Novamente eu me lembrei de Oséias 4.6 que diz: “O meu povo está sendo destruído pela falta de conhecimento...”

5) Chegou em meu consultório, um homem de trinta e cinco anos, boa aparência, com a seguinte queixa:
“Minha vida está sendo destruída e está caindo aos pedaços ao meu redor. Mesmo que eu não possa entender o porquê, eu sei que está acontecendo. Estou morrendo.”
Conversamos por mais de uma hora e eu o questionava procurando uma pista. A saúde dele estava excelente, não se sentia doente. Era cristão, embora não tivesse um relacionamento íntimo com o Senhor. O seu casamento ia bem, assim, como os seus filhos. O relacionamento com toda a família era bom. Gostava da profissão e estava feliz com a mesma. E, finalmente, depois de ter questionado sobre tudo o que fosse relacionado ao corpo, ele respondeu:
“Sofri de sinusite há cerca de três anos mas, não sofro mais.”
Coincidentemente, era exatamente o tempo, em que ele começou a sentir que a vida não tinha mais sentido.
“O que você fez há três anos para curar a sinusite?”
“Ah! Bem eu fiz um tratamento de acupuntura como o Dr. ..., e realmente funcionou. Não senti mais o problema.”
Ali estava a resposta! Durante a consulta, eu fizera nele um eletrocardiograma (ECG). Enquanto o aparelho registrava o batimento cardíaco eu podia sentir a presença esmagadora do diabo por toda a sala. Imediatamente, o coração dele parou. Mesmo não sabendo com o quê estava lidando, eu expulsei o maligno no nome de Jesus e o coração voltou a pulsar espontaneamente. Ele ficara parado por mais de um minuto. Depois o Senhor revelou-me que a presença que eu sentira era o espírito do acupunturista, ele estava sugando a força do paciente até ao extremo de fazer com que o coração dele parasse. O Senhor permitiu que isso acontecesse no período do meu treinamento. As portas demoníacas foram abertas naquele jovem através das agulhas da acupuntura, deixando-o indefeso ao controle do acupunturista do mesmo modo que acontece no hipnotismo. O acupunturista estava puxando a força do homem para uso próprio. Era por isso, que ele sentia que a vida dele estava sendo destruída. E estava! Não podia dizer-lhe o que estava acontecendo porque, com certeza, ele iria pensar que eu estava ficando louca. Ele era um crente superficial. Não estava preparado para aceitar o fato de que os demônios existem. Questionei ao Senhor o que fazer naquela situação.
“Use a ferramenta mais poderosa que você tem.” Foi a resposta. “Ore poderosamente por ele.”
Orei e jejuei por aquele homem mais de um ano.
Assim, depois de um ano, o Senhor falou-me que em resposta às minhas orações, Ele havia libertado o homem sem que o mesmo soubesse o que havia acontecido. Pouco tempo depois eu o examinei por causa de um outro problema e ele disse-me que estava se sentindo muito melhor. Novamente o Senhor libertara o cativo!

6) Um jovem de vinte e quatro anos chegara aos meus cuidados porque tentara cometer suicídio. Rick crescera numa família Cristã, em um lar adorável. Na adolescência, ele se comprometera totalmente com Jesus e mantivera um relacionamento íntimo como o Senhor, ouvindo-o falar em seu espírito. Era um jovem muito inteligente e depois de ter terminado a faculdade, entrou para o seminário com o objetivo de se tornar um ministro. O Senhor era a alegria da vida dele.
Contudo, cerca de um ano antes de conhecê-lo, ele já não era capaz de ter comunhão com o Senhor, era-lhe impossível ler a Bíblia ou orar, e não conseguia, cm absoluto, sentir a presença de Deus. Aconselhou-se e orou com muitas pessoas, mas não recebeu ajuda. Sentia dificuldade de concentrar-se nos estudos e as notas caíram drasticamente. Até que, finalmente, em total desespero, ele abandonou a escola durante um mês antes da tentativa do suicídio. Era como se não houvesse mais razão para a vida.
Questionei-o tentando achar a porta. Perguntei sobre tudo o que fizera um pouco antes dos problemas começarem. Ele contou-me a seguinte história.
“No outono, um ano antes de ingressar-me na escola, fui à Denver, no Colorado, a pedido de minha mãe. Ela dissera que a mãe dela estava gravemente doente e tinha sido internada. Tirei uns dias de folga e dirigi-me até lá. Ao chegar na cidade, fui direto para o hospital, entretanto, antes de chegar, enquanto estava dirigindo pela cidade tive a sensação de algo negro, como se fosse uma nuvem, caindo sobre mim. Aconteceu durante uns poucos segundos e depois se foi. Não pensei nada mais a respeito do ocorrido. Quando cheguei ao hospital, descobri que minha avó morrera justamente um pouco antes que eu chegasse. Fiquei para o funeral e depois voltei para casa.”
Depois de questioná-lo mais um pouco ele me disse que a avó envolvera-se, profundamente, na bruxaria. Muitos dos familiares tentaram convencê-la da necessidade de Jesus sem obter sucesso. Aquela era a porta, a herança. Com a morte da avó, os demônios que a habitavam foram passados a um outro membro da família. Naturalmente que Satanás escolhera Rick pois ele estava se preparando para dedicar tempo integral à obra do Senhor. Assim, depois da libertação ele foi completamente restaurado e voltou a comunicar-se livremente com o Senhor. Uma simples oração de fé pelos pais poderia tê-lo protegido de receber a herança da avó. Porém, faltou-lhes o conhecimento.
Sei que muitos irão dizer que Rick deveria já estar protegido de receber aquela herança, pelo fato de que ele já era um crente. Mas, a Bíblia afirma claramente que os pecados dos pais serão passados aos descendentes até a terceira e quarta geração. Esse foi o motivo porque Deus advertiu fortemente os israelitas contra quaisquer envolvimentos com o Ocultismo. Os cristãos devem estar cientes disso. Se souberem do envolvimento de quem quer que seja na família, em quaisquer aspectos com o ocultismo, devem pedir ao Senhor para fechar a porta da herança com o preciso sangue de Jesus. Tanto para si mesmos como para os filhos.



[i] Water – Witch : Crendice popular americana (de origem indígena) que ensina que se pode encontrar água apontando para o solo um galho de árvore na forma da letra “Y”.


***

2 comentários:

  1. Parabéns pela série "Ocultismo", muito atual e importante.

    http://evfabiomagalhaes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Evangelista Fábio ... Deus te abençoe!!

    ResponderExcluir